Home > Portal Brasil > Osmar Terra: governo dá prioridade à geração de emprego para reduzir pobreza

Osmar Terra: governo dá prioridade à geração de emprego para reduzir pobreza

Em entrevista à TV NBR, Ministro do Desenvolvimento Social citou potencial de iniciativas como o Progredir e o Criança Feliz para diminuir desigualdades


publicado:
06/02/2018 15h03


última modificação:
06/02/2018 15h07

Foto: Ubirajara Machado/MDS

Osmar Terra: desenvolvimento humano é aposta para reduzir pobreza

A redução da pobreza e da desigualdade social passam por iniciativas de desenvolvimento humano, segundo o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra. Em entrevista ao programa Por Dentro do Governo, da TV NBR, o ministro afirmou que programas de transferência de renda, como Bolsa Família e o Benefício de Prestação Continuada (BPC), não são suficientes para reduzir a população vivendo no limite da pobreza.

Emprego

“O que estamos fazendo agora é apostar em programas de geração de renda e emprego, como o programa Progredir. O BPC e o Bolsa Família não reduziram a desigualdade nem a pobreza. Em 2005, tínhamos 5 milhões de famílias no Bolsa Família e, em 2015, tínhamos 15 milhões”, afirmou.

Criança Feliz

Osmar Terra destacou, também, o Criança Feliz, que definiu como um “programa de longo prazo para reduzir pobreza”. A iniciativa consiste no acompanhamento semanal das crianças de lares beneficiários do Bolsa Família, com visitas às casas. Equipes dão orientações importantes para fortalecer vínculos familiares e estimular o desenvolvimento infantil.

Pente-fino

Em 2017, o MDS fez um pente-fino no Bolsa Família. Cerca de 4,4 milhões de pessoas que recebiam o benefício sem precisar foram tiradas do programa. Como resultado, 3,5 milhões de pessoas que realmente precisavam entraram no programa. Ação similar ocorreu com o auxílio-doença. “Ano passado, economizamos R$ 5 bilhões e, este ano, vamos chegar a R$ 10 bilhões. Esses valores ficam na área social, para o pagamento das aposentadorias, por exemplo”, explica Osmar Terra.

Fonte: Governo do Brasil

Deixe uma Resposta